Caracterização das Freguesias

"São vicente é comarca, Aonde há senhores de capote, Que são galos de raça grande, Que fazem um belo lóte. Ponta Delgada para lapas, Com boas praias de mar, Aonde os vapores costeiros, Fazem porto para voltar... Boaventura tem água, Que rega muito vimieiro, Tem muita bogança e feijão, Que valem muito dinheiro."

Freguesia de São Vicente

  • História

    Não se sabe ao certo quando começou o povoamento da encosta norte da ilha. As dificuldades de penetração, por via marítima e terreste, terão sido factor de ponderação para os possíveis interessados e actuaram, de certeza, como entrave à sua humanização.

    Assim sendo, não se sabe ao certo onde começou a edificação da primeira Vila, resultante da determinação do alvará de 1744 que criou o concelho. É muito provável que ela tenha sido traçada na margem esquerda da Ribeira, local abrigado do olhar cobiçoso vindo do mar, onde desde o século XV se assentara a nova igreja.

    São Vicente foi, desde o século XV, o principal e mais importante núcleo de povoamento do norte da Madeira, que acompanhou o lento progresso desta vertente norte. Somente em 1745 com o exercício pleno do município de São Vicente, o norte tem direito ao registo documental das suas preocupações e realidade quotidiana, quando traz idas à tribuna do senado da câmara.

  • Caracterização

    Actividades económicas: Agricultura (vinha), comércio, serviços, indústria (hoteleira, construção civil, panificação, turismo, extracção de inertes, vinícola, artefactos de cimento, móveis, transformação de madeira, serralharia).

    Festas e Romarias: São Vicente (24 a 31 de Agosto), Nossa Senhora do Rosário (1.º do mingo de Outubro), Nossa Senhora da Saúde (1.º domingo de Agosto – Lameiros) e Nossa Senhora da Paz (último domingo de Julho – Feiteiras).

    Património: Capelinha do Calhau, Capelinha do Pico da Cova, Capelinha do Livramento (Feiteiras) e Igreja matriz.

    Outros Locais: Jardim de Plantas Indígenas, Grutas Naturais de São Vicente e Centro de Vulcanismo, Lombo Garcês, Caramujo, Chão dos Louros, Bica da Cana, Encumeada, Pico da Cova, Fajã de Cima, Miradouro da Encumeada, Turismo de Habitação (Casa da Piedade, solar da Bica e Casa do Lanço).

    Gastronomia: Espetada, carne de vinho e alhos, cuscuz, caldo da romaria, bolo de mel, linguiça, poncha, sopas de trigo e de couve, inhame branco, arroz de lapas, caramujos, lapas grelhadas, pão caseiro, semilha, vinho da região.

    Artesanato: Tecelagem, ferreiro, bordados, cestaria de vime, latoeiro, artes plásticas e sapateiro.

    Colectividades: Centro Social Cultural e Paroquial de São Vicente, Casa do Povo de São Vicente, Valour Futebol Clube A.C.R.D. do Rosário, Grupo Coral de São Vicente, Associação Cultural e Desportiva de São Vicente, Clube Naval de São Vicente e Associação de Tiro e Caça de São Vicente.

    Orago: São Vicente.

  • Situação Geográfica

    SVCFreguesia

    Com 43,70 km² de área e 3139 habitantes (2011), localiza-se a uma latitude 32° 48′ Norte e a uma longitude 17 ° 3′ Oeste, estando a uma altitude de 271 metros. Tem costa no Oceano Atlântico, a norte, fazendo fronteira com as freguesias do Seixal (concelho do Porto Moniz), a Oeste, dos Canhas (concelho da Ponta do Sol), a Sudoeste e de Serra d’Água (concelho da Ribeira Brava), a Sul.

Freguesia de Ponta Delgada

  • História

    A primeira questão que ocorre quando nos debruçamos sobre a História de um local é a origem do seu nome. A toponímia encontra a explicação para isso, indo busca-la à tradição e História. Para Ponta Delgada o veredicto foi ditado por Gaspar Frutuoso, em finais do século XVI: “…assim chamada por ser ali hum passo muito perigoso, que se passa por cima de dois paus, que atravessam de uma rocha a outra, e em tanta altura fica o mar por baixo que se perde a vista dos olhos ”.

    Se quanto à origem do nome parece haver certezas o mesmo já não se passa quanto à data de início do povoamento. Não sabemos ao certo quando começou o povoamento da encosta norte da ilha, mas certamente que foi numa época tardia em relação ao que sucedeu na encosta sul.

    São Vicente foi sem dúvida o primeiro logradouro, seguido de Ponta Delgada. A este último associa-se o nome de Manuel Afonso Sanha, natural de Braga, que teria recebido em 1466 o u 1469 terras de sesmaria no extenso vale que o próprio ou algum dos seus baptizou de Ponta Delgada. E isto terá sido o começo do povoamento do lugar.

    O lugar de Ponta Delgada adquiriu o estatuto de paróquia em 1550, estando até então os seus moradores dependentes da paróquia de São Vicente.

  • Caracterização

    Actividades económicas: Agricultura (vinha), comércio, serviços, indústria (turismo, construção civil, serralharia, transformação de madeira, hotelaria), apicultura e floricultura.

    Festas e Romarias: Senhor do Bom Jesus (1 de Janeiro), Imaculado Coração de Maria (2.º do mingo de Agosto), Santíssimo Sacramento (1.º do mingo de Setembro – Arraial de Ponta Delgada) e Festa de São Silvestre.

    Património: Igreja matriz (futuro santuário do Bom Jesus), Capela do Imaculado Coração de Maria, Capela dos Reis Magos e Centro Paroquial e Social Bom Jesus.

    Outros Locais: Museu D. Hilária Freitas, Casa Museu Horácio Bento Gouveia, Casa do Pico, Casa do Romeiro, Complexo Balnear, Miradouros e Paisagens Naturais, Casa Paroquial, Casa da Vigia, Varadouro, Casa da Capelinha, Estalagem Côrte do Norte e Poço dos Romeiros.

    Gastronomia: Caldeirada, Sopa de Marisco (lapas), Bolo de mel e licores.

    Artesanato: Tecelagem, rendas e bordados, sapateiro, ferreiro, artigos decorativos em pano, bonecos de Presépio com âmago da figueira e do milho.

    Colectividades: Casa do Povo de Ponta Delgada e Associação Desportiva e Recreativa de Ponta Delgada.

    Orago: Senhor do Bom Jesus.

  • Situação Geográfica

    PDFreguesia

    É outra freguesia do concelho de São Vicente, com 8,80 km² de área e 1 363 habitantes (2011) e localiza-se a uma latitude 32° 59 ‘ Norte e a uma longitude 16 ° 59 ‘ Oeste.

    Ponta Delgada tem costa no Oceano Atlântico, a Norte, fazendo fronteira apenas com a freguesia de Boaventura e São Vicente, a Este e a Oeste respectivamente.

Freguesia de Boaventura

  • História

    Boaventura deverá ser lugar de assentamento muito mais recente que Ponta Delgada e São Vicente. Todavia, o facto do lugar s e encontrar a meio caminho na ligação à vertente sul pelo Curral das Freiras terá propiciado a sua valorização. O primeiro sesmeiro terá sido o castelhano Pero Gomes de Galdo que aí fundou a capela de São Cristóvão.

    Note-se que no concelho, a correspondência entre as actuais freguesias e paróquias só ficou estabelecida em 1836 com a criação da paróquia de Boaventura. Este último lugar esteve por muito tempo dependente da de Ponta Delgada e só em 1733, com a criação do curato pro cedeu-se à separação, ficando como sede a Capela de Santa Quitéria.

    Toda a História da localidade até ao século XIX é alicerçada na dependência da paróquia de Ponta Delgada. Somente em 1872 surge uma nova situação, pois a criação das juntas de paróquia veio a autonomizar o lugar.

    O facto mais significativo de tudo isto é que Boaventura em relação a Ponta Delgada apresentava-se no século XIX como mais populosa e tardou muito tempo em ser reconhecida a sua importância.

  • Caracterização

    Actividades económicas: Agricultura (vinha, vimes e banana), comércio, serviços, indústria (construção civil, hoteleira, panificação, extracção de inertes, areia, transformação de madeira) e apicultura.

    Festas e Romarias: Festa de Natal, Santa Quitéria (4.º do mingo de Maio), Santíssimo Sacramento (3.º do mingo de Agosto), Imaculado Coração de Maria (2.º do mingo de Setembro – Fajã do Penedo), Santíssimo Sacramento (3.º domingo de Setembro – Fajã do Penedo) e Sagrada Família (3.º domingo de Julho – Falca).

    Património: Igreja matriz (Santa Quitéria), Igreja do Imaculado Coração de Maria (Fajã do Penedo) e Capela da Sagrada Família (Falca).

    Outros Locais: Solar de Boaventura, Solar da Silveira, Engenho da Cana, Praia, Pedra que Mexe no Pico, Paisagens Naturais, Lugar do Pico e miradouros da Levada da Travessa, do Pico e do Pastel.

    Gastronomia: Carne de vinho e alhos, sopa de trigo pisado, milho malhado, batata de pinpinela, pão caseiro, espetada, maçaroca cozida e assada.

    Artesanato: Obra de vime, bordados, trabalhos decorativos com miolo de pão, artefactos em madeira, sapateiro, tanoaria e tapeçaria de retalhos.

    Colectividades: Casa do Povo de Boaventura, Associação Cultural e Desportiva de Boaventura, Grupo de Animação e Grupo de Instrumentos Tradicionais Madeirenses .

    Orago: Santa Quitéria.

  • Situação Geográfica

    BVFreguesia

    É uma freguesia do concelho de São Vicente, com 26,20 km² de área e 1221 habitantes (2011) e localiza-se a uma latitude de 32° 58′ Norte e a uma longitude de 17 ° 5′ Oeste.

    Tem costa no Oceano Atlântico, a norte, fazendo fronteira com as freguesias do Arco de São Jorge (concelho de Santana), a Este, do Curral das Freiras (concelho de Câmara de Lobos), a Sudeste, de Ponta Delgada (mesmo concelho, São Vicente), a Noroeste, e com a sede do concelho, São Vicente, a Sudeste, estando a ela ligada por uma estrada regional.

    É uma freguesia essencialmente rural, composta na sua maior parte por terrenos agrícolas. À medida que se avança para Sul, a freguesia torna-se mais montanhosa, sendo particularmente íngreme na fronteira com o Curral das Freiras.

Language »